Este é um pedido de socorro a todos que se perderam. A manhã de quinta-feira estava fria e cinzenta, as grandes nuvens que se estendiam ao horizonte indicava que a chuva não tardaria a surgir, pego o que seria minha unica bagagem e saio porta a fora sem ao menos olhar para trás, sem essa de ultima olhada, eu conhecia cada pedaço que havia ali dentro, cada móvel, cada canto, cada azulejo, cada risco no assoalho envelhecido do tempo. Olho o relógio e percebo que estou atrasada. De novo. Tranco tudo rapidamente e corro para o táxi impaciente que me espera na entrada do prédio, lhe dou todas as informações necessárias e nos distanciamos daquele lugar que um dia fora minha casa, mas que hoje completa mais uma pagina no caderno do passado. Não quero nem pensar o que vão fazer quando descobrirem que fui embora.

A ferrovia esta lotada de pessoas, gente de todos os lugares eu diria, depois de comprar meu bilhete procuro um lugar calmo para me sentar. E pra ser sincera era impossível naquele momento. Não havia bancos livres. Encontro então um lugarzinho no chão, perto da plataforma 10, sozinho pedindo companhia, coloco minha pequena mala no canto e me sento, adoraria poder esticar minhas pernas e viajar em pensamentos, mas, na movimentação que esta, é bem capaz de alguém tropeçar em mim, opto então por manter as pernas cruzadas. Mas era quase impossível não se perder em pensamentos, em não pensar o porque eu tinha tomado aquela decisão extrema. O real é que eu estava perdida, não perdida do tipo não sei como voltar para casa, ou como fui parar naquele bairro estranho, mas perdida de mim.

Nada era a mesma coisa já havia um tempo, tudo caíra na monotonia o que me fazia pensar constantemente se era aquilo que eu queria, se estava fazendo a coisa certa, ou se simplesmente havia me deixado acomodar com a situação. É um fato até engraçado, devo dizer, foram tantos anos na mesmice que fazia tudo no automático, era como se não fosse eu, no fim decidi que deveria fazer algo em relação a essa situação e cá estou, sentada no chão de uma ferrovia esperando um trem para um lugar qualquer. Esperando minha chance de tentar de novo, de recomeçar.

Minha família irá surtar. Tenho certeza disso, não avisei a ninguém onde vou e porque vou. Não tinha porque avisar. Não existia motivos. Eu precisa buscar algo que me faltava, algo que havia se perdido. Já fui tantas pessoas, que me perdi no que restou, nos cacos que um passado qualquer mais recente do que eu gostaria que fosse. Meu trem chega a estação. Esta na hora de seguir em frente. De me resgatar. De me salvar. Levanto-me pego o que seria minha unica bagagem e sigo rumo a ele, sem olhar parar trás, eu sabia que se olhasse me perderia de novo. O trem sai da estação e a chuva que ameaçava mais cedo caiu, eu permaneci ali olhando para o horizonte, sem pensar em nada, apenas olhando.

Esse é um pedido de socorro do coração a todos os que se perderam de si, não se deixem enganar e levar, você faz sua própria historia, você é dono de si, seja forte, pois ainda há esperança, levante-se e siga para o horizonte. Salve-se de si mesmo.


Olá pessoal!
 
Como você já devem ter percebido, eu adoro fazer listas de personagens por aqui né? Hahaha eu acho muito divertido e sempre rende vários comentários legais, não só do tipo "adorei o post, beijos" 😒.
 
Hoje resolvi falar sobre os heróis de X-men, vou listar aqui os mutantes preferidos, e você pode deixar nos comentários quais mais gosta também!
 
Vampira: seu poder mutante é a habilidade de sugar a vitalidade, memória e poderes de outros seres vivos através do contato com a pele.
 
imagem: Select Game
 
Lince Negra: sua habilidade é a de atravessar objetos sólidos e andar no ar.
 
imagem: X Men Evolution Online
 
Tempestade: possui a capacidade de controlar o tempo.
 
imagem: YouTube
 
Mística: é uma Metamórfa capaz de mudar suas células adquirindo a aparência que lhe desejar e os poderes do que ela se transformar, tanto de humano quanto de animal, ela é uma mestra em manipular pessoas ao trocar sua aparência, ela assume seus atributos físicos, todas as habilidades, vestimentas e voz.
 
imagem: Marvel Movies
 
Essas são as minhas mutantes preferidas, como podem ver não sou muito fã de nenhum dos meninos hahaha. E ai, qual faltou aqui na lista?




Olá pessoal! Hoje trouxe para você um lançamento da Editora Sextante, A Transição Para O Oceano Azul, um livro para quem quer crescer no mundo dos negócios. 

Sobre o livro: Os mesmos autores de um dos mais icônicos e impactantes livros sobre estratégia, que mudou a linguagem dos negócios com os poderosos conceitos de “oceanos vermelhos” e “oceanos azuis”, lançam agora A transição para o oceano azul. Da lista de mais vendidos do New York Times e do Wall Street Journal. Este livro está repleto de exemplos reais e inspiradores de como líderes em diversos setores e organizações deixaram oceanos vermelhos de competição acirrada e passaram para amplos oceanos azuis em novos mercados aplicando o processo e as ferramentas apresentados aqui. Os autores mostram, passo a passo, como construir a confiança em sua equipe para alcançar e aproveitar o novo crescimento.

imagem: Amazon


Você vai aprender:
 
POR QUE o foco nos concorrentes pode fazer sua empresa perder grandes oportunidades de crescimento e COMO expandir seu pensamento estratégico para além da concorrência;
 
POR QUE considerar a destruição e a disrupção criativas como fontes de
inovação é um pensamento limitado e COMO você pode crescer por meio da criação não disruptiva;
 
DE QUE MODO qualquer pessoa em qualquer tipo de organização – e não apenas os empreendedores – são capazes de fazer a transição do oceano vermelho para o azul com o processo sistemático de cinco passos descrito neste livro;
 
POR QUE a confiança das pessoas é fundamental para criar e executar sua estratégia de desenvolvimento e COMO conquistá-la;
 
POR QUE você não deve basear seu crescimento nas condições e nos ambientes já existentes de seu setor e COMO moldá-los a seu favor para alcançar novos patamares.


Sinopse - Para amar alguém, é preciso se amar primeiro realmente sabemos o que é a felicidade? É possível encontra-la dentro de você? O que nos impede de realizar nossos sonhos? William Sanches apresenta neste livro um método real para alcançar seus sonhos. Apesar do título sugestivo, é preciso entender que o seu amor é você mesmo. Logo, ele promete trazer à tona o seu verdadeiro eu. Segundo o autor: “Somos como um lago. Quando se atira uma pedra lá no meio, formam ondas que se espalham e chegam até a borda. Nossa mente é assim só que numa proporção de oceano, com ondas gigantescas. Sua crença sobre você, o que acredita ser, como acredita ser, a forma com que se trata, chega antes a qualquer lugar. ” A partir de técnicas elaboradas de psicologia aplicada, o autor afirma ser possível melhorar a autoestima, saber o que quer e delimitar suas metas. Só então será possível apaixonar-se por alguém e ter sucesso em qualquer tipo de relacionamento. Ame-se a si mesmo antes de tudo e, em 21 dias, ou menos, será realmente possível obter sucesso em qualquer tipo de relacionamento.
O livro de William Sanches traz uma visão diferente sobre amor próprio e o que devamos fazer com ele, quero dizer se amar antes do próximo muitas das vezes se torna extremamente difícil se faz necessário. Por meio de 21 dias de exercícios o autor nos envia por uma viagem dentro de nós fazendo com aos poucos resgatemos aquilo que temos de melhor, alem de descobrimos quem somos e onde queremos chegar, mas a pergunta que não quer cala é: você está disposto a mudar?

A ideia central do livro é muito boa mesmo que eu não seja lá uma grande fã de auto-ajuda, o proposito aqui é fazer com deixamos de lado a mesmice e a preguiça para que "renovados" possamos partir em busca de nossos sonhos e objetivos, fazendo assim com que sejam realizados. William traz um amontoada de estatistas e razões para você acordar para si mesmo e lembrar quem é a pessoas mais importante de sua vida...você.





Em resumo o livro ajuda muito você a mudar sua visão sobre si mesmo, mas devo confessar que me decepcionei um pouco com a leitura, o decorrer das paginas traz muitos exercícios e pouca explicação em si é necessário um pouco mais de pesquisa para se situar em determinados pontos uma neurolinguística total, mas se você está afim de dar o ponta pé inicial em sua autoestima essa é sem duvidas uma aposta valida. E vocês já leram esse livro? Se sim me contem o que acharam e se ainda não trate já de colocá-lo na sua tbr.





Título: O amor existe
Autor: Leandro Neko
Editora: Planeta
Páginas: 112
Gênero: Poesias
Skoob
Compare e Compre


Sinopse : De que vale viver a vida inteira se você não se sentir vivo?
O amor é muito mais do que algumas crônicas.Muito mais do que algumas músicas. É aquele frio na barriga que você só sente quando sabe que está fazendo a coisa cer. É aquele "oi, como você está?" que ilumina e esquenta todo o seu dia.É rusada, beijo, cheiro , abraço, carinho, dedos entrelaçados...É tudo o que faz você se sentir real ,se sentir verdadeiro. Leandro Neko,criar do movimento O amor nos a semear esse sentimento que não pode e nem deve ser esquecido. Deixe o amor invadir a sua vida por completo. Mesmo que tudo pareça difícil não esqueça que o amor existe. Transforma .Renova. Transborda.


A manhã estava fria e chuvosa demais para me permitir levantar, mas não era como se tivesse muita opção. A contra-gosto me pus de pé e fui para o meu ritual matinal de arrumação, nem o clima, nem minha boa vontade estavam colaborando para que eu terminasse logo, depois de um longo banho quente eu estava pronta para começar meu dia. Ao caminhar pela casa notei que estava tudo uma bagunça, não me lembrava ao certo o que havia ocorrido na noite passada, havia cacos de vidro ao pé da porta e os portas retratos estavam virados. Sento-me no sofá e observo a TV desligada como quem assiste ao programa preferido, então começo a me recordar do que havia acontecido. Havia velas e flores para todo lado, uma mesa bela e posta para dois, vinho tinto e um suflê de dar água na boca, mas, ele estava atrasado. Começo a andar de um lado a outro impaciente, estava ficando nervosa e com medo, exatas uma hora e quarenta e três minutos depois a campainha toca, era ele. Estava lindo naquela jaqueta café, o capacete na mão e o cabelo um pouco bagunçado, ficamos alguns segundos ali parados nos olhando, cada um na expectativa de que o outro falasse algo, "onde você estava?" Perguntei por fim, ele estava muito atrasado era bom que tivesse uma boa explicação, ele apenas me observou.

Aquela altura o penteado tinha dado espaço a um coque mal feito e os saltos dera espaço ao chão. Sorrateiramente ele passou para dentro do meu apartamento, ainda em silencio, ele se sentou e olhou para fixo um ponto imaginário, " você não vai falar nada?" ele se virou e me olhou penetrante, de alguma me senti invadida por aquele olhar "olha eu sinto muito pelo atraso, me desculpe", desculpe era só o que ele tinha a me dizer, uma hora e quarenta e três minutos de atraso se resumira a um me desculpe, "poderia ter me avisado, assim não teria perdido tempo fazendo tudo isso" no fim eu já havia desfeito a mesa, apagado as velas e jogado as flores fora, sei que o que acabara de dizer tinha sido cruel, mas eu estava irritada. Ele continuou em silencio e aquilo me deixou frustrada, a situação se tornou tensa e acabamos por brigar, quer dizer eu falar e ele apenas escutar. Aquilo estava me matando, era nosso aniversario, como ele podia se atrasar e simplesmente não dizer nada, apenas se sentou me observou como uma criança olha para um estranho que fala com ele. "Para mim já chega, vá embora" foi a unica coisa que conseguir dizer antes de coloca-lo para fora do meu apartamento, quando me dei conta havia arremessado um copo contra a porta, tudo se fora, um ano resumido a nada.

O toque da campainha me trouxe de volta a manha, uma lagrima me escapou pelo canto do olho antes que eu pudesse evitar, eu não estava em condições nem interessada em atender, permaneci ali em silencio na esperança da pessoa ir embora, o que não aconteceu. Alguns segundos depois ela tocou de novo e de novo, não havia outra opção "já vai" foi a unica coisa que consegui dizer, me levantei recolhi a bagunça e então abri a porta, era ele. Esta parado a soleira, com a mesma roupa da noite passada me observando, "preciso de um café", ele estava brincando comigo ou o que, aparecer na minha porta depois de tudo e me pedir um café, mas a unica coisa que consegui dizer foi "o que?" , ele me olhou profundamente, se aproximou e me abracou, ao meu ouvido ele então explicou "me atrasei ontem porque minha mãe se acidentou, me desculpe" eu paralisei, não sabia o que fazer ou muito menos o que falar, eu havia me equivocado e errado, tinha muito o que concertar, me afastei e o observei, aquele cafe agora parecia uma boa opção, um bom recomeço, então "entre" e fechei a porta.